Melina é aprovada na UFC, USP e UnB

01/02/2019
Ela fez a opção pelo curso de Direito na UFC, onde foi aprovada em 2º lugar, mesmo resultado da UnB.

Os resultados são grandiosos, no limite da sensibilidade de Melina Coelho Garcia. Ela foi aprovada no curso de Relações Internacionais da USP e em 2º lugar em Direito, tanto na UnB quanto na UFC. O gosto pelas relações diplomáticas e pela defesa de direitos humanos a fez optar pelo Direito, uma formação, no seu entendimento, mais abrangente.

Melina escolheu a UFC como porta de entrada de uma carreira universitária na qual ela já projeta trabalhos humanitários e defesa de direitos de minorias. “Escolher Direito tem a ver também com a minha vontade de ter uma voz para contribuir com o nosso País, que tem tantos problemas, ser partícipe, ajudar de alguma maneira e tentar incidir de forma global”. 

Aluna do Colégio Santa Cecília desde pequena, Melina ingressou na Escola no 3º ano do Ensino Fundamental. Aqui construiu amizades duradouras e põe alguns professores nesse grupo de diletos amigos, de parceiros. “O que acho muito importante no Santa Cecília é o incentivo que você recebe quando se dedica, independente do que queira fazer, das suas escolhas”, observa. 

Medalhas e troféus, ela coleciona vários. Não havia uma noite de premiações de olimpíadas na qual seu nome não fosse citado. Desde o 7º ano, aliás, ela frequenta as turmas de olimpíadas, uma escolha estratégica de quem sabia que aprofundar conteúdos e treinar a levaria longe. “Para quem tem uma base, as coisas se tornam muito mais fáceis. Não tem segredo: sentar, estudar, fazer muitas questões, escrever muitas redações, no final vai compensar”.

Melina tem sensibilidade de artista. Ela escreve poesias, toca piano desde os 7 anos, violão, ukulele e está sempre imersa no universo literário. Até o 3º ano do Ensino Médio, ela costumava ler em média 60 livros por ano, confirmando a regra de que um bom leitor é um excelente escritor. “Sempre quis ser escritora, tenho muita vontade de publicar poemas porque, através deles, você exprime o que sente sem precisar ser literal, entende quem tem a capacidade de sentir”. Os seus escritos estão em todas as edições do projeto Criações Literárias.

Não tem vaidade na alegria de Melina, o sentimento é de muita gratidão: “Eu estou bem otimista porque é um novo começo quando você entra em um curso que realmente escolheu. Tive a sorte de poder escolher algo com que me identifico, e entrar no meio universitário, intelectual, é muito enriquecedor. Não existe prazer maior do que chegar para os seus pais, que fizeram um investimento de uma vida inteira em educação, material escolar, fardamento e dizer: “Passei bem, estou no curso que eu quero. É indescritível”.