Inspirado pelo Teatro

07/03/2018
Vinícius passou em primeiro lugar no curso de Teatro da UFC.

Ele descobriu as aulas de Teatro aos 10 anos de idade. Desde então, Vinicius tem na arte de interpretar uma aliada fiel, dessas com que ele conta para o que der e vier: superar a timidez, fazer novos amigos, concentrar-se, organizar pensamento e discurso.

Vinícius passou em primeiro lugar no curso de Teatro da UFC e pretende, se possível, conciliar com a graduação em Direito na Unifor, onde já está cursando. As coisas nem bem começaram e já se misturam. Na apresentação oral sobre neoliberalismo para uma turma de mais de 50 alunos do Direito, ele sacou da cartola as técnicas de interpretação e se saiu muito bem. “Foi uma apresentação muito tranquila porque o teatro desenvolve o seu poder de retórica, de argumentação e, principalmente, ajuda a perder o nervosismo”.

Ele pensa em seguir carreira profissional como ator. Fez cursos pelo Brasil com diretores como Wolf Maya, participações em filmes, mas a interpretação teatral é sua grande paixão. “Sou muito grato ao teatro, que descobri no Santa Cecília, porque, como tinha medo de falar em público e até com as pessoas, me soltei, destravei. Isso mudou a minha vida em vários aspectos”.

Tem mais: o teatro não permite mediação, é ator e público frente a frente. Mais uma vez, Vinicius sabiamente desloca o fundamento para outros momentos da vida. “Ao subir ao palco, você só tem aquela chance, tem que dar tudo de si. Olhei para a prova do ENEM e foi do mesmo jeito, era só aquela oportunidade, não tem vamos fazer de novo. Então, é ficar calmo e aproveitar a sua chance”.

Uma palavra que define Vinicius é superação e se materializa na nota em Redação do ENEM: 980. Ele, que encarou os diagnósticos de Dislexia e TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade), criou seu próprio método de estudos e, desde o 2º ano do Ensino Médio, focou-se no ENEM e passou a estudar sistematicamente, pondo as matérias em dia. Travou um duelo com a grafia das palavras e o venceu, encheu sua parede com fórmulas matemáticas e passava muitas horas na Escola estudando, escapando das tentações de estar em casa com tudo que o distraía.

Em média, eram 11 horas de estudos por dia. “Lidar com as dificuldades é uma questão de adaptação. Se você não pode se livrar do seu problema de concentração, tem que se adaptar a ele. Vai descobrindo o seu jeito de lidar com as dificuldades e segue adiante. Falo sobre isto com naturalidade porque é possível conviver bem, desde que tenha disciplina e determinação. Querendo ou não, todo mundo tem dificuldades, é só encontrar um modo de se adaptar e investir emocionalmente e racionalmente na superação”.

A meditação, uma nova aliada, passou a fazer parte do dia a dia. Vinicius anda satisfeito com seus resultados, e nós do Santa Cecília felizes por tê-lo conosco.